Connect with us

O que você está procurando?

Medicamentos

Anvisa alterou método de prescrever Zolpidem; entenda

Para impedir o uso indiscriminado do Zolpidem, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária alterou seu método de prescrição

Anvisa alterou método de prescrever Zolpidem; entenda
Anvisa alterou método de prescrever Zolpidem; entenda - Foto: Shutterstock

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou alterações no método de prescrição do Zolpidem, um medicamento usado tradicionalmente no combate à insônia, mas que tem se popularizado nos últimos anos.

A partir de agosto, todos os medicamentos à base de Zolpidem precisarão da receita B (cor azul). Isso passa a exigir que o profissional tenha cadastro prévio na vigilância sanitária. 

O medicamento é usado para tratar a insônia e já foi um grande aliado para melhorar a qualidade do sono em pacientes com bruxismo. No entanto, pacientes passaram a usá-lo por conta própria, o que é bastante perigoso, afirma a cirurgiã-dentista Dra. Andréa Melo.

Como o Zolpidem age no organismo?

O cérebro possui receptores para o GABA, que tem uma subunidade específica, chamada Alfa 1, associada ao efeito hipnótico, onde o zolpidem se liga. Esses receptores são muito prevalentes no cérebro. Com apenas 30% de ligação a esses receptores, já ocorre o efeito hipnótico. 

Se essa ligação ultrapassar 30%, ocorre o efeito amnéstico (perda de memória), onde as pessoas realizam ações e não se lembram no dia seguinte, causando alucinações e sonambulismo, o que é extremamente perigoso. Por isso, deve-se usar o medicamento apenas sob prescrição. Para evitar a dependência, sua utilização nunca deve ultrapassar quatro semanas. 

Zolpidem no tratamento do bruxismo

De acordo com a cirurgiã-dentista com PhD em odontologia, Dra. Andrea Melo, o medicamento já foi bem utilizado para auxiliar no tratamento de bruxismo, mas por períodos curtos. Infelizmente, pelo fácil acesso, o uso se tornou indiscriminado.  Hoje há suplementos para aprofundar o sono de forma mais eficaz e menos danosa ao organismo. 

“Antes acreditava-se que o bruxismo era um problema relacionado à oclusão (toques dentários), mas hoje sabemos que o bruxismo é um problema relacionado à baixa qualidade do sono. Por isso, precisamos utilizar técnicas para ajudar esse paciente a dormir melhor”, explica.

Segundo a profissional, o Zolpidem foi usado por muito tempo para ajudar nesse processo, mas com o tempo ele passou a ser menos utilizado por poder causar dependência ao longo do tempo. O problema se agravou com o uso sem prescrição médica, que se tornou bastante comum.

“Hoje há suplementos para aprofundar o sono de forma mais eficaz e menos danosa ao organismo, além da rotina do sono que utilizo na minha clínica diariamente e que tem mudado a qualidade de vida de inúmeros pacientes”, explica Dra. Andrea Melo.

Advertisement

Você também vai gostar

Alimentação

Frequentemente confundida com a intolerância ao glúten, a doença celíaca é uma condição autoimune que exige uma série de restrições alimentares

Alimentação

Baixa produção de colágeno interfere na saúde das articulações. Entenda qual o impacto do açúcar nesses casos

Doenças

Rio Grande do Sul registrou ao menos 17 mortes por leptospirose após enchente histórica atingir o estado. Veja os sintomas da condição

Notícias

Chegar “lá” traz benefícios para todo o organismo, o que pode ser estimulado nesse Dia dos Namorados. Veja os impactos do orgasmo na nossa...